2ª Vara Cível Comarca de Manhumirim

Lote 01: 2ª Vara Cível Comarca de Manhumirim

Valores atualizados

Avaliação1.680.000,00
Lance mínimo840.000,00
Incremento2.000,00

Resultado parcial

Maior lance-
Usuário-
Visitas501

ÁREA RURAL 67,74 HECTARES - “IMÓVEL RURALdenominado Córrego Prata, no município da cidade de Durandé – MG, nesta comarca, com uma área de 67.76.00ha de terras, tendo como benfeitorias 3.000 cafeeiros e uma casa com 6 cômodos em péssimo estado de conservação, dividindo por seus diversos lados com José Luiz Cantamissa, Geraldo Jovelino de Carvalho e com uma pedreira.” Registro anterior R.19/3.292. Proprietários: Everaldo Simione e sua esposa Sirlene Pereira Simione. Matriculado sob nº 5.490 do CRI da Comarca de Manhumirim - MG.

Conforme Avaliação: Trata-se de uma área rural, localizado a 3 Km do Distrito de São João da Figueira, Município de Durandé – MG, possuindo topografia privilegiada, água em abundância, energia elétrica, pasto, curral para 100 cabeças de boi, 20.000 (vinte mil) pés de café, uma boa casa, tulha, lavador de café, capineira, 3 açudes, terreiro de pedra medindo 2.000 m². 

Localização: Zona Rural Córrego Prata – 03 Km do Distrito de São João da Figueira - Durandé / MG. 

Avaliação: R$ 1.680.000,00.

ÔNUS: Consta na referida matrícula R.08 - Hipoteca em favor do Banco Bradesco S/A; Av.09 – Ação Premonitória, ref. autos nº 0033555-91.2016.8.13.0395 em trâmite na 1ª Secretaria do Juizo da Comarca de Manhumirim / MG, movida pela Cooperativa dos Cafeicultores da Região de Lajinha Ltda; Av.10 – Penhora Exequenda.

VALOR MÍNIMO DA VENDA DO BEM: No primeiro leilão, o valor mínimo para a venda do bem apregoado será o valor da avaliação judicial (fl.195) que corresponde a R$ 1.680.000,00 (Novembro/2017). No segundo leilão, o valor mínimo para a venda do bem corresponderá a 50% (cinquenta) do valor da avaliação judicial, equivalente a R$ 840.000,00 (Art. 891 do NCPC, Parágrafo único. Considera-se lance vil o preço inferior ao mínimo estipulado pelo juiz e constante do edital).

O bem será vendido no estado de conservação em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus do interessado verificar suas condições, antes das datas designadas para a alienação eletrônica.

1ª Vara Civel do Foro de Bariri

Lote 01: 1ª Vara Civel do Foro de Bariri

Valores atualizados

Avaliação1.036.560,00
Lance mínimo663.365,00
Incremento2.000,00

Resultado parcial

Maior lance-
Usuário-
Visitas261

IMÓVEL:“Uma Propriedade Agrícola localizada neste município e Comarca de Bariri, Estado de São Paulo, no Bairro Sapé, com a área de20,9044 ha., ou ainda8,6382 Alqueirescom a seguinteDESCRIÇÃO: Com início no marco (I) localizado junto com a divisa com a Fazenda São Manoel e a área que pertencerá a José Carlos Schiavon, segue com AZ de 349°37’04’’ e distância de 573,754m, segue até alcançar o marco (52), localizado na divisa da propriedade de Elíseo Fernandes de Carvalho; Continua deste, com  AZ de 238°06’53’’ e distância de 164,309m, até o marco (54). A partir deste, agora com AZ 238°41’31’’ e distância de 506,671m, segue até alcançar o marco (198), localizado na divisa de Oldemar Folôni; Em seguida com AZ de 142°18’19’’ e distância de 219,899m, continua até alcançar o marco (199), daí, segue com AZ de 78°11’56’’ e distância de 149,630m, até o marco (154); Deste, com AZ de 78°11’56’’ e distância de 192,399m, segue até o marco (49); desse segue com AZ de 147°13’42’’ e distância de 195,248 até o marco (J), localizado na divisa da área que pertencerá a José Carlos Schiavon; Segue agora com AZ de 61°51’48’’ e distância de 114,379m, até o marco inicial (I).CONFRONTAÇÃO: Do marco inicial I ao 52, confronta com a fazenda São Manoel; do marco 52 ao marco 198, confronta com Elísio Fernandes de Carvalho; do marco 198 ao marco J, confronta com Oldemar Foloni; do marco J ao inicial I, confronta com a área que pertencerá a José Carlos Schiavon”.  Cadastro no INCRA sob nº 6220100038082.Matriculado sob nº 15.909 do CRI de Bariri/SP.

O bem será vendido no estado de conservação em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus ao interessado, verificar suas condições antes das datas designadas para a alienação eletrônica.

ÔNUS:Consta na referida matrícula:R.03 e R.04 – Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av.05 – Penhoraref. autos nº 3000623-70.2013.8.26.0062, em trâmite na 1ª Vara Cível do Foro de Bariri, movida pelo Banco do Brasil S/A;Av.06 – PenhoraExequenda;Av.07 – Penhoraref. autos nº 0004165-16.2014.8.26.0062, em trâmite na 1ª Vara Cível do Foro de Bariri, movida pela Fazenda Nacional.

VALOR DA DÍVIDA EXEQUENDA:R$ 93.857,63 (fls. 306/308 - Maio/2018)

VALOR MÍNIMO DA VENDA DO BEM:No primeiro leilão, o valor mínimo para a venda do bem apregoado será o valor da avaliação judicial (fls. 289/290) no valor deR$ 1.105.608,00. No segundo leilão, o valor mínimo para a venda do bem corresponderá a60%(sessenta por cento) do valor da avaliação judicial, equivalente aR$ 663.365,00(Art. 891 do NCPC, Parágrafo único. Considera-se lance vil o preço inferior ao mínimo estipulado pelo juiz e constante do edital).

2ª Vara Cível da Comarca de Timóteo

Lote 01: 2ª Vara Cível da Comarca de Timóteo

Valores atualizados

Avaliação650.000,00
Lance mínimo650.000,00
Incremento3.000,00

Resultado parcial

Maior lance-
Usuário-
Visitas431

93,88 Hectares de Terras no Municipio de Jaíba / MG.

IMÓVEL RURAL, situado no lugar denominado “Santa Cruz do Rio Verde”, Fazenda Ramalhudo Mártires, distrito de Gameleira (hoje município de Jaíba-MG), Comarca de Manga (MG), pertencendo o quinhão com a área de 93,88 ha (noventa e três hectares e oitenta e oito ares), dentro dos seguintes limites e confrontações: - “O Polígono inicia no marco de nº 6-B cravado na divisa com Mércio José Rodrigues Oliveira. Deste com rumo magnético de 05°35´15” SE e distância de 400,00m limitando com Mércio José Rodrigues Oliveira, está o marco de nº 6-D. Daí, com rumo 75°34´46” e distância de 713,482m mesmo confinante, está o arco de nº 17-B. Deste segue sentido a montante ao Rio Verde Grande, numa distância aproximada de 1.510,261m até o marco de nº 23. Do marco de nº 23 com rumo 00°10´39” e distância de 1.309,918m, limitando com Márcio Rodrigo de Oliveira, está o marco de nº 6-A. Deste com rumo 71°03´46” SW e distância de 582,688m, limitando com Amélia Cândida Oliveira Rodrigues; está o marco de nº 6-B, que é o início deste polígono.”

Conforme Av.02/7987 – Área de Reserva Florestal Preservada é de 22,65,39 ha (Vinte e dois hectares, sessenta e cinco ares e trinta e nove centiares); Fica grava como utilização limitada, não podendo nela ser feito qualquer tipo de exploração, a não ser mediante autorização do IEF. Cadastro no INCRA nº 436.224.014.745-2. NIRF nº 5.464.921-8.

Avaliação: R$ 650.000,00. Matriculado sob nº 7.987 do CRI da Comarca de Manga - MG.

O bem será vendido no estado de conservação em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus do interessado verificar suas condições, antes das datas designadas para a alienação eletrônica.

ÔNUS: Consta na referida matrícula R.06 – Hipoteca em favor do Banco Bradesco S/A;

VALOR MÍNIMO DA VENDA DO BEM: No primeiro leilão, o valor mínimo para a venda do bem apregoado será o valor da avaliação judicial que corresponde a R$ 650.000,00 (Novembro/2017). No segundo leilão, o valor mínimo para a venda do bem corresponderá a 50% do valor da avaliação judicial, correspondente a R$ 325.000,00. (Art. 891 do NCPC, Parágrafo único. Considera-se lance vil o preço inferior ao mínimo estipulado pelo juiz e constante do edital).

1ª Vara Cível do Foro de Tupanciret

Lote 01: 1ª Vara Cível do Foro de Tupanciret

Valores atualizados

Avaliação8.123.117,48
Lance mínimo4.061.558,74
Incremento10.000,00

Resultado parcial

Maior lance-
Usuário-
Visitas954

VALOR NA SEGUNDA PRAÇA: r$ 4.061.558,74

UMA FRAÇÃO DE TERRAS de campo, sem benfeitorias, com área superficial de 2.689.774 m² (dois milhões, seiscentos e oitenta e nove mil, setecentos e setenta e quatro metros quadrados), situada no município de Quevedos, nesta Comarca (São Pedro do Sul), no lugar denominado “Aguapé”, com as seguintes confrontações: ao NORTE, com terras de Lacy Nascimento Viegas e com terras de Licércio do Nascimento e Silva; ao SUL, com terras de Clarhynto Salles Pint; ao LESTE, com terras de Josefino da Silva Pereira; e, ao OESTE, com terras de Clarhynto Salles Pinto e Vicente Quadros do Nascimento.

1ª Vara Cível de São Lourenço

Lote 1: 1ª Vara Cível de São Lourenço

Valores atualizados

Avaliação276.250,00
Lance mínimo276.250,00
Incremento2.000,00

Resultado parcial

Maior lance-
Usuário-
Visitas33

BEM A SER PRACEADO:COTA PARTE CORRESPONDENTE A 25% DO IMÓVEL RURAL

IMÓVEL- “Um terreno rural, dividido, com área de 110,6797 has, situado no Bairro Fumas, com as seguintes divisas: Inicia-se no marco 01, na cerca, junto a faixa de domínio da rodovia MG 347. Deste segue margeando a Rodovia MG-347, por uma extensão de 520,65 metros e azimutes de 94°31’SE, confrontando-se com a faixa de domínio da rodovia MG 347, até o marco 02. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 461,95 metros e azimute de 116°02’SE, confrontando-se com o mesmo até o marco 03. Deste deflete à esquerda e segue margeando a mesma, por uma extensão de 407,60 metros e azimutes de 61°06’NE, confrontando-se com a mesma, até o marco 04. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 127,75 metros e azimutes de 68°30’NE, confrontando-se com a mesma , até o marco 05, junto à cerca. Deste deflete à direita deixando a faixa de domínio da rodovia MG 347, segue por uma extensão de 119,30 metros e azimutes d 166°11’SE, passando a confrontam-se com Enéas de Oliveira Caldas, até o marco 06. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 88,35 metros e azimutes de 175°11’SE, confrontando-se com o mesmo, até o marco 07. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 152,50 metros e azimutes de 186°23’SO, confrontando-se com o mesmo 08. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 166,20 metros e azimutes de 188°02’SO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 09. Deste deflete à esquerda e segue por uma extensão de 218,00 metros de 174°24’SE, confrontando-se com o mesmo , até o marco 10. Deste deflete a esquerda e segue por uma extensão de 212,45 metros e azimutes de 135°11’SE, confrontando-se com o mesmo, até o marco 11. Deste deflete à deflete à direita e segue por uma extensão de 94,80 metros e azimutes de 178°53’SE confrontando-se com o mesmo, até o marco 12. Deste à direita e segue por uma extensão de 124,00 metros e azimutes de 208°24’SO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 13. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 177,00 metros e azimutes de 221°20’SO, conforta-se  com o mesmo, até o marco 14. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 355,30 metros e azimutes de 251°15’SO, confrontando-se com o mesmo até o marco 15. Deste deflete à esquerda e segue por uma extensão de 141,65 metros e azimutes de 194°28’SO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 16. Deste deflete à esquerda e segue por uma extensão de 104,90 metros e azimutes 186°04’SO, confrontando-se com o mesmo até o marco 17. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 166,05 metros e azimutes de 317°50’NO, passando a confrontar-se com Oscar Pereira Magalhães, até o marco 18. Deste deflete à direita segue por uma por uma extensão de 106,75 metros e azimutes de 334°36’NO, confrontando-se com o mesmo até o marco 19. Deste deflete á esquerda e segue por uma extensão de 111,50 metros e 298,50 metros e 298°16’NO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 20. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 171,15 metros e azimutes de 310°33’NO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 21. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 285,20 metros e azimutes de 355°19’NO, confrontando-se com o mesmo até o marco 22. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 126,50 metros e azimutes de 359,22’NO, passando a confrontar-se com sucessores de José Ribeiro Santiago, até o marco 23. Deste deflete à esquerda e segue por uma extensão de 96,30 metros e azimutes de 347°46’NO, passando a confrontar-se com sucessores de Rogério Antônio da Silveira, até o marco 24. Deste deflete à esquerda e segue por uma extensão de 118,00 metros e azimutes de 321°16’NO, confrontando-se com o mesmo até o marco 25, Deste deflete à esquerda e segue por uma extensão de 65,05 metros e azimute de 303°14’NO, passando a confrontar-se com sucessores de José Goulart Rodrigues, até o marco 26. Deste deflete á direita e segue por uma extensão de 75,50 metros e azimutes de 349°41’NO, confrontando-se com o mesmo até o marco 27. Deste à direita e segue por uma extensão de 118,20 metros e azimutes de 32°30’NE, confrontando-se com o mesmo até o marco 28. Deste deflete a esquerda e segue por uma extensão de 63,75 metros e azimutes de 03°15’NE confrontando-se com o mesmo até o marco 29. Deste deflete á esquerda e segue por uma extensão de 287,00 metros e azimute de 328°25’NO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 30. Deste deflete à direita e segue uma extensão de 166,30 metros e azimute de 268°40’SO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 31. Deste deflete á direita por uma extensão de 127,80 metros e azimute de 295°53’NO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 32. Deste deflete á esquerda e segue por uma extensão de 68,70 metros e azimute de 279°48’NO, confrontando-se com o mesmo, até o marco 33. Deste deflete à direita e segue por uma extensão de 30,85 metros e azimute de 359°40’NO, confrontando-se com o mesmo, até o marco inicial 01, onde teve inicio e fim desta demarcação.”

Localização: Zona Rural de Furnas – Fazenda Furnas – Pedralva/MG.

Avaliação:R$ 1.105.000,00 (Fevereiro/2019) em sua totalidade, ou seja, para a cota parte correspondente a 25% do imóvel o valor de R$ 276.250,00. Matriculado sob nº 4.103 do CRI da Comarca de Pedralva - MG.

O bem será vendido no estado de conservação em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus do interessado verificar suas condições, antes das datas designadas para a alienação eletrônica.

ÔNUS:Consta na referida matrículaR.02 / R.05 / R.06 / R.07 / R.08 –Hipoteca em favor do Banco do Brasil S/A;R.11Penhorade 25% do imóvel pertencente a Rinaldo de Castro Junqueira, autos nº 014107000543-6, em trâmite na Comarca de Carmo de Minas/MG, movida pela Bunge Fertilizantes S/A;

VALOR MÍNIMO DA VENDA DO BEM:No primeiro leilão, o valor mínimo para a venda do bem apregoado será o valor da avaliação judicial (fl.404) que corresponde a R$ 1.105.000,00 em sua totalidade, ou seja, para aCOTA PARTE CORRESPONDENTE A 25% DO IMÓVEL, o valor equivalente aR$ 276.250,00.No segundo leilão, o valor mínimo para a venda do bem corresponderá a50%do valor da avaliação judicial, equivalente àR$ 138.125,00. (Art. 891 do NCPC, Parágrafo único. Considera-se vil o preço inferior ao mínimo estipulado pelo juiz e constante do edital).

1ª Vara Cível de São Lourenço

Lote 1: 1ª Vara Cível de São Lourenço

Valores atualizados

Avaliação3.600.000,00
Lance mínimo3.772.215,00
Incremento2.000,00

Resultado parcial

Maior lance-
Usuário-
Visitas37

FAZENDA SANTA EMILIANA: AREA RURAL COM 200.44,22 HECTARES

IMÓVEL RURAL- “FAZENDA SANTA EMILIANA  FAZENDA SANTA EMILIANA Ant.Faz.Boa Vista)-Carmo de Minas. Uma gleba de terras com a área de mais ou menos 355, 44, 22 hects., com as seguintes divisas e confrontações: começam suas divisas num mata-burro na estrada pública sentido Carmo de Minas e Fazenda Boa Vista, direita dessa estrada; subindo por um valo, em divisas com a Fazenda do Condado, pertencente à Pedro Ribeiro Junqueira de Souza e Ibraim Chaib de Souza; seguindo valo, até encontrar a Fazenda do Engenho de Pedro Ribeiro Junqueira de Souza, encontrando em seguida uma cerca de arame em divisas com Maria Rita Pereira e Maria do Carmo Dias Pereira; descendo até encontrar as divisas de José Wagner e Walter Ribeiro / Junqueira, entrando esta cerca no mato, até nágua; seguindo córrego acima em divisas com os mesmos José Wagner e Walter Ribeiro Junqueira, depois com Pedro Augusto Junqueira (pedro); até o encontro dos córregos Boa Vista e Caquende; subindo por um barranco até encontrar uma cerca de arame que sobe em direção do meto, passando por um espigão acima, /até o valo em divisas com o quinhão de Fernando Tostes Ferraz; descendo o valo até alcançar a estrada, onde existe uma porteira; seguindo a estrada até o travessio de agua;/atravessando a estrada èe acesso à Boa Vista, subindo pelo espigão, entrando nó mato passando por uma árvore de pereira; mato acima, por cerca de arame até o fim deste espigão; virando em seguida para a direita, beira mato, sempre com o mesmo confrontante, até encontrar a água; pelo córrego acima até encontrar a cerca de arame, virando è direita, no café, pelo lado de cima deste cafezal, alcançando o espigão em divisas com o quinhão de /Fernando Tostes Ferraz; pelo espigão e por cerca de arame, virando à esquerde até o alto onde encontra-se um pinheiro em gancho, do pinheiro vira à direita, por cerca de arame passando por uma árvore de guatambú até a égua maior, sobe àgua acima até a lage de pedra; da lage por cerca de arame em divisas com o mesmo quinhão de Fernando Tostas Ferraz passando por alguns pinheiros, até encontrar 2a divisas dos municípios de Carmo de Minas e Don Viçoso, com sucessores de João Pereira de Castro, virando à esquerda, com os / mesmos confrontantes, por cerca de arame, com diversos pinheiros nessa divisa, até encontrar as divisas de Custódio José Palma; descendo por cerca de arame, em águas vertentes, até encontrar uma grota, seguindo esta cerca até encontrar as divisas com Neusa Ferraz de Castro, seguindo com esta por cerca de arame em pastos dos dois lados, até encontrar um valo em divisas com a mesma Neusa Ferras de Castro, em café dos dois lados, até encontrar uma estrada pública do acesso à Fazenda Cambará; atravessando a mesma e seguindo valo logo em seguida, por cerca de arame até as divisas da Fazenda do Condado, descendo por um valo e cerca até alcançar o mata-burro, onde tiveram principio e findam estas demarcações. Ficam mantidas as servidões de caminho já existentes em favor desta gleba. Conforme AV. 25/3.325 – desmembramento de uma parte com área de 155.00 hects, e matriculada sob n° 5.302 do mesmo proprietário, ficandouma área remanescente com 200.44,22 hects, tendo como benfeitorias seis casas colonos e um galpão depósitos de adubo.

Endereço: Zona Rural do município Carmo de Minas/MG – A 6km do centro da cidade.

Avaliação:R$ 3.600.000,00 (Outubro/2018).Matriculado sob nº 3.325 do CRI da Comarca de Carmo de Minas - MG.

O bem será vendido no estado de conservação em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus do interessado verificar suas condições, antes das datas designadas para a alienação eletrônica.

ÔNUS:Consta na referida matrículaAv.44 –Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av.47Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av. 62 – Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av.70 –Penhora Exequenda;

VALOR MÍNIMO DA VENDA DO BEM:No primeiro leilão, o valor mínimo para a venda do bem apregoado será o valor da avaliação judicial (fl.263) que corresponde a R$ 3.600.000,00 (Outubro/2018),que, atualizado a época da alienação perfaz o montante deR$ 3.772.215,00.No segundo leilão, o valor mínimo para a venda do bem corresponderá a50%do valor atualizado da avaliação judicial, correspondente ao valor deR$ 1.886.108,00(Art. 891 do NCPC, Parágrafo único. Considera-se vil o preço inferior ao mínimo estipulado pelo juiz e constante do edital, e, não tendo sido fixado preço mínimo, considera-se vil o preço inferior a cinquenta por cento do valor da avaliação).