FAZENDA SANTA EMILIANA - 200.44,22 HECTARES - CAFÉ - CARMO DE MINAS / MG
ModalidadeOnline
Local do leilãoRua. Afonso Celso, 312
TipoAberturaFechamentoLance Inicial
1ª Praça14/04/20 13:0017/04/20 13:00R$ 3.772.215,00
2ª Praça17/04/20 13:0011/05/20 13:00R$ 1.886.108,00

BEM A SER PRACEADO:AREA RURAL COM 200.44,22 HECTARES

IMÓVEL RURAL- “FAZENDA SANTA EMILIANA  FAZENDA SANTA EMILIANA Ant.Faz.Boa Vista)-Carmo de Minas. Uma gleba de terras com a área de mais ou menos 355, 44, 22 hects., com as seguintes divisas e confrontações: começam suas divisas num mata-burro na estrada pública sentido Carmo de Minas e Fazenda Boa Vista, direita dessa estrada; subindo por um valo, em divisas com a Fazenda do Condado, pertencente à Pedro Ribeiro Junqueira de Souza e Ibraim Chaib de Souza; seguindo valo, até encontrar a Fazenda do Engenho de Pedro Ribeiro Junqueira de Souza, encontrando em seguida uma cerca de arame em divisas com Maria Rita Pereira e Maria do Carmo Dias Pereira; descendo até encontrar as divisas de José Wagner e Walter Ribeiro / Junqueira, entrando esta cerca no mato, até nágua; seguindo córrego acima em divisas com os mesmos José Wagner e Walter Ribeiro Junqueira, depois com Pedro Augusto Junqueira (pedro); até o encontro dos córregos Boa Vista e Caquende; subindo por um barranco até encontrar uma cerca de arame que sobe em direção do meto, passando por um espigão acima, /até o valo em divisas com o quinhão de Fernando Tostes Ferraz; descendo o valo até alcançar a estrada, onde existe uma porteira; seguindo a estrada até o travessio de agua;/atravessando a estrada èe acesso à Boa Vista, subindo pelo espigão, entrando nó mato passando por uma árvore de pereira; mato acima, por cerca de arame até o fim deste espigão; virando em seguida para a direita, beira mato, sempre com o mesmo confrontante, até encontrar a água; pelo córrego acima até encontrar a cerca de arame, virando è direita, no café, pelo lado de cima deste cafezal, alcançando o espigão em divisas com o quinhão de /Fernando Tostes Ferraz; pelo espigão e por cerca de arame, virando à esquerde até o alto onde encontra-se um pinheiro em gancho, do pinheiro vira à direita, por cerca de arame passando por uma árvore de guatambú até a égua maior, sobe àgua acima até a lage de pedra; da lage por cerca de arame em divisas com o mesmo quinhão de Fernando Tostas Ferraz passando por alguns pinheiros, até encontrar 2a divisas dos municípios de Carmo de Minas e Don Viçoso, com sucessores de João Pereira de Castro, virando à esquerda, com os / mesmos confrontantes, por cerca de arame, com diversos pinheiros nessa divisa, até encontrar as divisas de Custódio José Palma; descendo por cerca de arame, em águas vertentes, até encontrar uma grota, seguindo esta cerca até encontrar as divisas com Neusa Ferraz de Castro, seguindo com esta por cerca de arame em pastos dos dois lados, até encontrar um valo em divisas com a mesma Neusa Ferras de Castro, em café dos dois lados, até encontrar uma estrada pública do acesso à Fazenda Cambará; atravessando a mesma e seguindo valo logo em seguida, por cerca de arame até as divisas da Fazenda do Condado, descendo por um valo e cerca até alcançar o mata-burro, onde tiveram principio e findam estas demarcações. Ficam mantidas as servidões de caminho já existentes em favor desta gleba. Conforme AV. 25/3.325 – desmembramento de uma parte com área de 155.00

hects, e matriculada sob n° 5.302 do mesmo proprietário, ficandouma área remanescente com 200.44,22 hects, tendo como benfeitorias seis casas colonos e um galpão depósitos de adubo.

Endereço: Zona Rural do município Carmo de Minas/MG – A 6km do centro da cidade.Avaliação:R$ 3.600.000,00 (Outubro/2018).Matriculado sob nº 3.325 do CRI da Comarca de Carmo de Minas - MG.O bem será vendido no estado de conservação em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus do interessado verificar suas condições, antes das datas designadas para a alienação eletrônica.

ÔNUS:Consta na referida matrículaAv.44 –Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av.47Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av. 62 – Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av.70 –Penhora Exequenda;

VALOR MÍNIMO DA VENDA DO BEM:No primeiro leilão, o valor mínimo para a venda do bem apregoado será o valor da avaliação judicial (fl.263) que corresponde a R$ 3.600.000,00 (Outubro/2018),que, atualizado a época da alienação perfaz o montante deR$ 3.772.215,00.No segundo leilão, o valor mínimo para a venda do bem corresponderá a50%do valor atualizado da avaliação judicial, correspondente ao valor deR$ 1.886.108,00(Art. 891 do NCPC, Parágrafo único. Considera-se vil o preço inferior ao mínimo estipulado pelo juiz e constante do edital, e, não tendo sido fixado preço mínimo, considera-se vil o preço inferior a cinquenta por cento do valor da avaliação).

1ª Vara Cível de São Lourenço

Lote 1: 1ª Vara Cível de São Lourenço

Valores atualizados

Avaliação3.600.000,00
Lance mínimo3.772.215,00
Incremento2.000,00

Resultado parcial

Maior lance-
Usuário-
Visitas48

FAZENDA SANTA EMILIANA: AREA RURAL COM 200.44,22 HECTARES

IMÓVEL RURAL- “FAZENDA SANTA EMILIANA  FAZENDA SANTA EMILIANA Ant.Faz.Boa Vista)-Carmo de Minas. Uma gleba de terras com a área de mais ou menos 355, 44, 22 hects., com as seguintes divisas e confrontações: começam suas divisas num mata-burro na estrada pública sentido Carmo de Minas e Fazenda Boa Vista, direita dessa estrada; subindo por um valo, em divisas com a Fazenda do Condado, pertencente à Pedro Ribeiro Junqueira de Souza e Ibraim Chaib de Souza; seguindo valo, até encontrar a Fazenda do Engenho de Pedro Ribeiro Junqueira de Souza, encontrando em seguida uma cerca de arame em divisas com Maria Rita Pereira e Maria do Carmo Dias Pereira; descendo até encontrar as divisas de José Wagner e Walter Ribeiro / Junqueira, entrando esta cerca no mato, até nágua; seguindo córrego acima em divisas com os mesmos José Wagner e Walter Ribeiro Junqueira, depois com Pedro Augusto Junqueira (pedro); até o encontro dos córregos Boa Vista e Caquende; subindo por um barranco até encontrar uma cerca de arame que sobe em direção do meto, passando por um espigão acima, /até o valo em divisas com o quinhão de Fernando Tostes Ferraz; descendo o valo até alcançar a estrada, onde existe uma porteira; seguindo a estrada até o travessio de agua;/atravessando a estrada èe acesso à Boa Vista, subindo pelo espigão, entrando nó mato passando por uma árvore de pereira; mato acima, por cerca de arame até o fim deste espigão; virando em seguida para a direita, beira mato, sempre com o mesmo confrontante, até encontrar a água; pelo córrego acima até encontrar a cerca de arame, virando è direita, no café, pelo lado de cima deste cafezal, alcançando o espigão em divisas com o quinhão de /Fernando Tostes Ferraz; pelo espigão e por cerca de arame, virando à esquerde até o alto onde encontra-se um pinheiro em gancho, do pinheiro vira à direita, por cerca de arame passando por uma árvore de guatambú até a égua maior, sobe àgua acima até a lage de pedra; da lage por cerca de arame em divisas com o mesmo quinhão de Fernando Tostas Ferraz passando por alguns pinheiros, até encontrar 2a divisas dos municípios de Carmo de Minas e Don Viçoso, com sucessores de João Pereira de Castro, virando à esquerda, com os / mesmos confrontantes, por cerca de arame, com diversos pinheiros nessa divisa, até encontrar as divisas de Custódio José Palma; descendo por cerca de arame, em águas vertentes, até encontrar uma grota, seguindo esta cerca até encontrar as divisas com Neusa Ferraz de Castro, seguindo com esta por cerca de arame em pastos dos dois lados, até encontrar um valo em divisas com a mesma Neusa Ferras de Castro, em café dos dois lados, até encontrar uma estrada pública do acesso à Fazenda Cambará; atravessando a mesma e seguindo valo logo em seguida, por cerca de arame até as divisas da Fazenda do Condado, descendo por um valo e cerca até alcançar o mata-burro, onde tiveram principio e findam estas demarcações. Ficam mantidas as servidões de caminho já existentes em favor desta gleba. Conforme AV. 25/3.325 – desmembramento de uma parte com área de 155.00 hects, e matriculada sob n° 5.302 do mesmo proprietário, ficandouma área remanescente com 200.44,22 hects, tendo como benfeitorias seis casas colonos e um galpão depósitos de adubo.

Endereço: Zona Rural do município Carmo de Minas/MG – A 6km do centro da cidade.

Avaliação:R$ 3.600.000,00 (Outubro/2018).Matriculado sob nº 3.325 do CRI da Comarca de Carmo de Minas - MG.

O bem será vendido no estado de conservação em que se encontra, sem garantia, constituindo ônus do interessado verificar suas condições, antes das datas designadas para a alienação eletrônica.

ÔNUS:Consta na referida matrículaAv.44 –Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av.47Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av. 62 – Hipotecaem favor do Banco do Brasil S/A;Av.70 –Penhora Exequenda;

VALOR MÍNIMO DA VENDA DO BEM:No primeiro leilão, o valor mínimo para a venda do bem apregoado será o valor da avaliação judicial (fl.263) que corresponde a R$ 3.600.000,00 (Outubro/2018),que, atualizado a época da alienação perfaz o montante deR$ 3.772.215,00.No segundo leilão, o valor mínimo para a venda do bem corresponderá a50%do valor atualizado da avaliação judicial, correspondente ao valor deR$ 1.886.108,00(Art. 891 do NCPC, Parágrafo único. Considera-se vil o preço inferior ao mínimo estipulado pelo juiz e constante do edital, e, não tendo sido fixado preço mínimo, considera-se vil o preço inferior a cinquenta por cento do valor da avaliação).